Com o advento das compras online, a gestão eficiente do centro de distribuição se tornou um ponto de diferenciação entre uma empresa de sucesso e uma sem tantos resultados. A adoção de sistemas de gestão para os armazéns, como o Kaizen, é uma alternativa para quem deseja aumentar a eficiência de sua operação intralogística.

As empresas que apresentam uma estrutura produtiva mais complexa – que precisam transportar materiais entre processos ou nivelar sua capacidade produtiva, por exemplo – não dependem de uma logística interna eficiente e sincronizada, ou podem registrar perdas de tempo e de dinheiro no andamento das operações.

A adoção das práticas do Kaizen tem sido uma alternativa adotada pelas empresas para melhorar a forma como sua intralogística é gerenciada ao viabilizar a melhora da gestão da cadeia de suprimentos e, com isso, a produtividade.

Basicamente, o método Kaizen tem origem no idioma japonês, e significa “mudança para melhor”. O conceito tem origem no meio industrial após a Segunda Guerra Mundial, quando as empresas do país passaram a utilizar uma série de conceitos que buscavam reduzir custos e melhorar a produtividade – o que faz todo sentido uma vez que o país precisava se recuperar após os ataques sofridos.

As práticas Kaizen dentro de uma empresa partem do pressuposto de que as pessoas podem melhorar continuamente no desenvolvimento de suas atividades, e que o trabalho coletivo deve prevalecer sobre o individual, entre outras medidas que visam estimular a melhora contínua dos seres humanos e, por conseguinte, das empresas.

Outros conceitos empregados pelo Kaizen envolvem a eliminação do desperdício, uma vez que as melhoras graduais devem ocorrer de forma contínua; o envolvimento de todos os colaboradores; total transparência de procedimentos, processos e valores, o que aumenta a visibilidade dos problemas a serem solucionados; e a atenção ao local onde se cria valor – no caso da intralogística, ao armazém e aos centros de distribuição. .

A adoção das práticas do Kaizen no armazém leva em consideração a ideia de aumentar a frequência de reposição dos materiais, com o menor uso possível de recursos – o que permite a redução de estoques em toda a operação. O uso da mão de obra também é feito de outra maneira, com foco em aumentar a produtividade dos operadores.

Quanto mais uma companhia valoriza a sua logística interna e adota os seus conceitos, maior a chance de sucesso em atender as demandas de mercado – e isso faz todo o sentido em períodos com grande volume de vendas, como as festas natalinas e o Black Friday, além do avanço do conceito omnichannel, que exige integração completa entre os centros de distribuição e os canais de venda (lojas físicas, internet e aplicativos de smartphone) para melhorar a experiência de compra do consumidor.

Segundo o Kaizen Institute, os benefícios para as empresas ocidentais envolvem o aumento de produtividade sem investimentos significativos; reduções nos custos de produção; capacidade de realização às mudanças de mercado e motivação dos colaboradores. Dados da entidade mostram que a implantação de tais conceitos ajudou empresas a nivelarem seus armazéns, reduzirem a distância de picking dos materiais e a aumentarem sua produtividade em até 63%.

Deixe uma resposta