Wer das Lager nicht in und auswendig kennt, findet darin nicht unbedingt den schnellsten Weg zum nächsten Zielplatz. Mit der neuen Breitgang-Navigation ist das leicht zu schaffen Bilder: Jungheinrich

O aumento dos custos com armazenagem, seja pelo maior número de produtos, entregas cada vez mais frequentes, menor tolerância a erros operacionais e redução dos níveis de estoque, obrigam as empresas de logística a procurar opções para cortar custos e, muitas vezes, um novo armazém, mais moderno, pode ser uma opção.

Mas, será que é realmente necessário um novo armazém? Ou a readequação de um antigo já permite um ganho de performance? Essa é a primeira questão a ser respondida quando pensamos em modernizar uma operação. E, se pensarmos nos custos envolvidos, reformar deve ser levado em consideração.

Reestruturar o armazém, entretanto, é apenas o primeiro passo para a modernização da operação. Para alcançar níveis ainda mais altos de qualidade, é preciso dar atenção aos seguintes pontos:

Planejamento
Para atingir rapidamente seus objetivos, um bom planejamento se faz necessário. Por meio dele, é possível entender quais serão as táticas utilizadas, os indicadores, o melhor layout, fluxo e dimensionamento do armazém, para que a operação seja bem sucedida.

O planejamento divide-se em:

  • Estratégico – De longo alcance, deve contemplar períodos maiores que um ano
  • Tático – De médio alcance, normalmente períodos menores que um ano
  • Operacional – Para tomadas rápidas de decisão. Normalmente para prazos menores, entre 15 e 30 dias

Layout
Reavalie o layout para otimizar o espaço. Aproveite cada metro cúbico de espaço disponível para melhorar a produtividade. Analise o fluxo da mercadoria para saber a necessidade de utilização de equipamentos mais modernos e para altos volumes de atividade. Assim, você poderá ter uma melhor movimentação de mercadorias e assegurar a segurança de pessoal e ativos operacionais.

Fluxo operacional
Entenda qual o fluxo das mercadorias dentro do armazém. Qual o caminho que cada produto percorre até sua armazenagem ou expedição. Essa visão permite encontrar os gargalos que diminuem a produtividade.

Dimensionamento das áreas
O dimensionamento do armazém deve contemplar o posicionamento adequado dos produtos e permitir a mobilidade das pessoas, recursos e equipamentos. Além disso, melhorar a sinalização contribui para que o funcionário encontre o produto mais facilmente, agilizando o trabalho.

Indicadores de desempenho
Implante indicadores de desempenho para encontrar os pontos fortes e fracos da operação e obter subsídios para as tomadas de decisão que contemplem a estratégia de negócios da empresa. O uso de KPIs não deve ser visto apenas como uma forma de controle, mas como uma forma de implementar melhorias nos processos da empresa.

Organização e limpeza
Por mais que pareça óbvio, muitos armazéns pecam no básico, que é manter o local limpo e organizado.

O local de trabalho e os equipamentos devem estar, sempre, limpos, sem poeira ou resíduos. O lixo também deve ter destinação adequada. Isso evita acidentes e diminui a necessidade de manutenção de equipamentos, além de promover o bem-estar dos funcionários. Já a organização facilita a localização de ferramentas e os materiais necessários para a execução de uma tarefa, além de contribuir para melhorar o controle do estoque e os chamados “ladrões de tempo”.

Deixe uma resposta